ABN Amro lucra ? 2,21 bi em 2002

O banco holandês ABN Amro Holding NV anunciou um lucro líquido de 2,21 bilhões de euros (US$ 2,38 bilhões) em 2002, em relação ao lucro de 3,23 bilhões de euros no ano anterior. O lucro operacional foi de 5,45 bilhões de euros (US$ 5,87 bilhões), ante os 5,06 bilhões de euros em 2001. As provisões para possíveis perdas foram de 1,69 bilhão de euros (US$ 1,82 bilhão) em 2002, em comparação com 1,42 bilhão de euros em 2001. Conforme era esperado, os lucros do ABN Amro decorreram principalmente de sua divisão de varejo, contrabalançando maiores provisões para créditos de risco, o fraco rendimento das comissões e perdas na unidade de banco corporativo e de investimento. As vendas caíram quase 3% para 18,28 bilhões de euros (US$ 19,6 bilhões). O lucro líquido na unidade de varejo cresceu 21% para 2,01 bilhão de euros (US$ 2,15 bilhões) em 2002. No Brasil, onde o ABN Amro é o quinto maior banco privado, as vendas declinaram aproximadamente 10% devido à desvalorização do real. Tal como seus concorrentes, o ABN foi atingido pela escassez de atividade de fusões e aquisições e pelo colapso dos mercados acionários, resultando em um prejuízo de 294 milhões de euros (US$ 316,8 milhões) em sua unidade de atacado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.