ABN Amro sofre prejuízo de 886 mi de euros no 1o tri

O banco holandês ABN Amro anunciou um prejuízo após impostos de 886 milhões de euros (1,24 bilhão de dólares) no primeiro trimestre. Grande parte das perdas foi contraída pelas unidades em processo de transferência ao Royal Bank of Scotland.

REUTERS

25 de maio de 2009 | 10h00

Um consórcio incluindo o Royal Bank of Scotland, o Fortis

e o grupo espanhol Santander comprou o ABN Amro em 2007 por 70 bilhões de euros. Após uma crise de confiança, o governo holandês assumiu as operações locais do Fortis, incluindo sua participação no ABN Amro, em outubro do ano passado por 16,8 bilhões de euros.

A complexidade das duas séries de transações é tamanha que o processo de separar os negócios do ABN Amro adquiridos pelo governo holandês dos outros assumidos pelo Royal Bank of Scotland ainda está em andamento.

O ABN AMRO informou nesta segunda-feira que a separação deve ser finalizada até o final de 2009.

Tal processo deixará uma nova entidade controlada pelo governo holandês chamada ABN Amro Bank NV, enquanto a companhia existente será renomeada de Royal Bank of Scotland NV.

O ABN Amro acrescentou que os negócios adquiridos pelo governo holandês mostraram um lucro resultante de operações contínuas de 87 milhões de euros no trimestre. Já os negócios do Royal Bank of Scotland registraram prejuízo de 928 milhões de euros.

Na semana passada, o ABN informou que planejava cortar de 4 mil a 5 mil postos de trabalho e até 1,3 bilhão de euros (1,8 bilhão de dólares) em despesas durante a fase de integração com o Fortis Bank Nederland.

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSABNAMRORBS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.