ABN AMRO vê ligeira queda em provisões para empréstimos duvidosos em 2014

O banco estatal holandês ABN AMRO divulgou um aumento de 30 por cento no lucro líquido do primeiro trimestre nesta sexta-feira e disse que as provisões para empréstimos duvidosos levariam algum tempo para cair para níveis normais, embora devam ser ligeiramente menores este ano.

Reuters

16 de maio de 2014 | 08h31

O banco afirmou que o lucro líquido subiu a 378 milhões de euros (518,5 milhões de dólares), conforme margens mais elevadas nos depósitos levaram a um aumento na renda com juros ao mesmo tempo em que as despesas mal subiram.

O ABN AMRO disse que as provisões para empréstimos duvidosos mantiveram-se elevadas, refletindo o fraco estado da economia doméstica. A 361 milhões de euros, as provisões ficaram 39 por cento acima dos níveis registrados um ano antes, apesar de uma melhora de 35 por cento ante sobre o trimestre anterior.

O ABN AMRO, que teve que ser resgatado na crise financeira de 2008, disse que a economia holandesa estava mostrando sinais promissores que passavam pelo aumento dos preços imobiliários e das transações e pela melhora do sentimento entre as pequenas empresas e aumento das vagas de emprego.

O presidente-executivo do banco, Gerrit Zalm, afirmou que o provisionamento para empréstimos duvidosos deve encerrar o ano ligeiramente abaixo da marca registrada no ano passado, de 1,67 bilhão de euros excluindo itens especiais.

(Por Philip Blenkinsop)

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSABNAMROBANKRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.