ABN garante que não reduziu linhas de crédito para o Brasil

O porta-voz do ABN Amro, Jochem van de Laarschot, garantiu hoje que o banco holandês "não reduziu as linhas de crédito para o Brasil nos últimos seis meses". O presidente do Banco Central, Armínio Fraga, se reuniu nesta quarta-feira com diretores do banco, que cederam suas instalações para um encontro com investidores e analistas holandeses.Laarschot, em entrevista à Agência Estado, afirmou que o ABN Amro, a exemplo de outras instituições financeiras internacionais, "está preocupado" com a situação brasileira. "Não estamos preocupados com a situação da economia, que é forte, mas com o sentimento negativo criado pela crise argentina, a sucessão presidencial e a conjuntura internacional", disse. "Nós não compartilhamos esse sentimento, mas nos preocupa o fato de que haja pessoas que acreditem que ele possa tornar-se uma profecia que se autorealize".O porta-voz disse que a reação do mercado à situação brasileira é "exagerada": "Acreditamos na recuperação do país assim que houver uma avaliação mais realista da situação", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.