ABN usa escala para atrair clientes

Banco financiou operações como a compra da americana Chaparral

O Estadao de S.Paulo

14 de janeiro de 2008 | 00h00

O ABN Amro Real está se destacando num campo em que era pouco conhecido. Depois de aprovar um plano de negócios que mudaria a estrutura do banco, em 2004, o ABN viu nessa área uma oportunidade de crescimento. "Todos os executivos que lidam com empresas foram orientados a ficar atentos a oportunidades de compra e venda de empresas", explica o vice-presidente da área de empresas do ABN, João Roberto Teixeira. A decisão mostrou-se acertada. Hoje, parte expressiva do lucro do banco vem da área de fusões e aquisições.O banco esteve por trás de importantes negócios em 2007. De janeiro a dezembro, seus executivos estiveram envolvidos em operações do setor petroquímico. O trabalho começou na assessoria da Braskem na compra da Ipiranga, passou pela venda da Suzano para a Petrobrás e terminou com a venda da Petroflex para a Lanxess. Um dos atrativos do ABN para captar clientes é a sua capacidade de financiar grandes operações. O banco foi um dos principais financiadores da compra da americana Chaparral pela Gerdau por US$ 4,2 bilhões. A operação foi atropelada pela crise financeira dos Estados Unidos. A empresa precisou rever o modelo do financiamento, mas concluiu o negócio com sucesso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.