Abramat anuncia prorrogação de IPI menor para construção

Governo anuncia nesta segunda novas medidas para a economia e deve prorrogar redução para outros setores

Chiara Quintão, da Agência Estado,

29 de junho de 2009 | 11h57

As alíquotas atuais do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de materiais de construção serão mantidas até o fim do ano. A afirmação é do presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), Melvyn Fox. Ele disse à Agência Estado que o produto vergalhões de cobre foi incluído na lista dos materiais com redução de alíquotas. 

 

Fox está presente no evento em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, irão anunciar novas medidas de estímulo à economia, daqui a pouco. 

 

A expectativa é que haja também a prorrogação da cobrança menor para automóveis e linha branca de eletrodomésticos. Também deve ser divulgada a prorrogação por 18 meses da isenção de PIS e Cofins incidente sobre a venda de trigo, farinha de trigo e pão francês.

 

Desde que as reduções e desonerações de IPI foram anunciadas no fim de março, as entidades que representam a indústria e o varejo do setor defenderam que o prazo não fosse restrito aos 90 dias inicialmente previstos.

 

Os principais argumentos para o pedido de ampliação são de que esse período é incompatível com o ciclo produtivo do setor de construção e que só com a extensão desse prazo a produção dos imóveis do programa "Minha Casa, Minha Vida" poderá se beneficiar das alíquotas menores de IPI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.