Abrapp critica MP 2222 em nota oficial

Em nota oficial, a Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Privada (Abrapp) afirma que a Medida Provisória (MP) nº 2.222, editada pelo governo em 4 de setembro, que dispõe acerca do Imposto de Renda (IR) sobre a previdência complementar, exprime o prevalecimento de uma visão arrecadatória. Segundo a nota da Abrapp, a MP aumenta a arrecadação no curto prazo em detrimento do futuro, porque prejudica a formação de poupança interna.Segundo o comunicado, a MP mantém o impasse na Justiça, uma vez que, na previsão da Abrapp, dificilmente os fundos de pensão associados à entidade irão aceitar as medidas. A tributação da previdência complementar, da maneira como está desenhada na MP, não existe em qualquer dos países desenvolvidos, afirma o comunicado. "A solução imposta por Brasília está na contra-mão de tudo que se produz de melhor no contexto internacional", afirma a nota.

Agencia Estado,

06 de setembro de 2001 | 18h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.