Abrasca critica mudanças em fundos de pensão

O presidente da Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca), Alfried Plöger, criticou as mudanças nas regras dos fundos de pensão, observando que o mercado de capitais "não pode continuar sendo alvo de medidas dirigistas". Segundo ele, é preciso evitar "que prospere a crença de que é possível fazer, somente através de mudanças de normas, o que a experiência de anos e anos de mercado não conseguiu ou até mesmo desaconselha". A minuta de resolução que altera as regras de aplicação dos recursos de fundos de pensão estimula os investimentos em ações do Novo Mercado - seção criada pela Bovespa que exige maior proteção e participação dos acionistas minoritários no Conselho das empresas e maior transparência e governança corporativa. Segundo Plöger, avaliar qual será o comportamento das empresas diante das mudanças "certamente demandará considerável tempo". Segundo ele, "já surgem vozes no mercado de que o enquadramento das carteiras das fundações às novas regras poderá desencadear pressão de venda das ações que estiverem acima dos limites permitidos, provocando, eventualmente, queda nos preços e talvez até impacto no equilíbrio atuarial das fundações". Veja mais informações sobre as novas regras dos fundos de pensão no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.