Acaba em impasse a reunião entre grevistas do BC e governo

Funcionários exigem reajuste de 6%; nova reunião ocorre nesta quarta

Agencia Estado

14 de junho de 2007 | 16h48

Terminou em impasse a reunião de negociação feita na última terça-feira, 12, pelos grevistas do Banco Central (BC) e o governo. "Não nos foi apresentada nenhuma nova proposta de recomposição salarial", disse o presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do BC (Sinal) de Brasília, Paulo Calovi. Durante o encontro, os representantes sindicais dos empregados do banco chegaram a propor que o governo concedesse um reajuste salarial de aproximadamente 6% em setembro deste ano e concluísse o processo de equiparação com os funcionários da carreira de gestão do serviço público em janeiro de 2008. "O governo manteve a proposta anterior de fazer a equiparação em janeiro do próximo ano e em janeiro de 2009 e não dá nenhum aumento neste ano", disse o sindicalista. Diante do insucesso das negociações, o presidente do Sinal de Brasília chegou a ameaçar com a possibilidade de radicalização do movimento iniciado em 3 de maio. "Até o momento os serviços essenciais estão sendo mantidos em funcionamento. A partir de agora, ficará com a consciência de cada um manter ou não estes serviços essenciais", afirmou.Uma nova rodada de negociações será realizada na tarde desta quarta-feira, 13, no Ministério do Planejamento, para tentar acabar com a paralisação, que já dura 42 dias.

Mais conteúdo sobre:
BCgrevereajuste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.