Acaba greve na fábrica de motores da Volkswagen

Os metalúrgicos da fábrica da Volkswagen em São Carlos (SP) decidiram na tarde desta quinta-feira encerrar a greve iniciada no dia 3 de outubro e já voltaram ao trabalho. Os trabalhadores realizaram assembléia às 13h30 e aceitaram a proposta da empresa de Programa de Participação nos Resultados (PPR), a mesma que já havia sido rejeitada na terça-feira - R$ 3.600 para uma produção de 383 mil motores. Para uma meta de 380 mil motores, o PPR será de R$ 3.168,00, e para uma produção de 390 mil motores, o valor será R$ 4.032,00. Os dias parados serão 50% compensados e 50% descontados em folha de pagamento.Segundo informou a montadora, mais de 11 mil motores deixaram de ser fabricados no período, o que afetou inclusive a unidade da Volkswagen em São José dos Pinhais (PR), que teve de interromper sua produção de automóveis por falta de motores.Situação em outras unidadesOs funcionários da fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP) são os únicos da companhia que ainda continuam parados. A unidade de Taubaté retornou ao trabalho na segunda-feira. A fábrica do ABC paulista completou hoje 12 dias úteis consecutivos em greve e já deixou de produzir mais de 10 mil veículos.A próxima assembléia de empregados deve ser realizada somente na próxima segunda-feira e não há previsão de novas negociações entre empresa e sindicato. Em nota, a Volkswagen reiterou que não fará nova proposta de PPR aos metalúrgicos. A montadora oferece R$ 5.000 para uma produção de 208 mil veículos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.