Ação exige ter horizonte de investimento

Ao comprar ações, os investidores precisam determinar o horizonte de investimento. Este horizonte depende, teoricamente, do tempo que é necessário para obter um melhor retorno. Assim, quando se compra ações, em regra geral, os analistas recomendam ter um horizonte de longo prazo. O ideal é que o investidor que está no mercado acionário tenha uma estratégia de ganhar dinheiro sem prazo definido para sair da aplicação. Esta é uma recomendação usual para investimentos de maior risco. Não é indicado, por exemplo, investir em ações o dinheiro destinado ao pagamento de prestações de financiamentos a curto prazo. O horizonte de investimento não é um limitador, e sim uma prevenção ao risco. O investidor deve estar permanentemente atento a esta questão do retorno obtido. Dizer que o investimento é de longo prazo não significa que o investidor deva comprar o papel e esquecê-lo no banco. Isso pode transformar o investimento em pó, se a escolha das ações não foi bem sucedida. É preciso avaliar as perspectivas de ganhos da carteira constantemente para saber se o melhor é vender as ações, mesmo com perdas, para evitar perdas maiores. Para obter mais informações sobre investimento em ações e horizonte de investimentos, consulte os links abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.