Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Silo de 1,2 mil toneladas desaba e mata 3 trabalhadores em Belo Monte

Morreram soterrados Denivaldo Soares Aguiar, José da Conceição Ferreira da Silva e Pedro Henrique dos Santos Silva

Fátima Lessa, O Estado de S. Paulo

30 Maio 2015 | 14h38

Atualizado às 20h47

Cuiabá - O corpo de bombeiros de Altamira (PA) resgatou os três corpos dos trabalhadores  soterrados durante acidente na madrugada deste sábado  dentro da área industrial do Sítio Belo Monte, um dos canteiros de obras da usina hidrelétrica de Belo Monte (UHBM), rio Xingu, em Altamira (PA). O resgate foi confirmado pela assessoria do Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), responsável pelas obras da UHBM, em nota. No acidente além, dos três moros, três trabalhadores ficaram feridos - dois com ferimentos leves e um com fratura no ombro que está em observação.

Morreram soterrados os ajudantes de produção Denivaldo Soares Aguiar, José da Conceição Ferreira da Silva e Pedro Henrique dos Santos Silva. 

Em nota, o  Consórcio Construtor Belo Monte confirmou que, no fim da tarde deste sábado, que havia resgatado os três corpos e que se "solidariza com a dor dos familiares está prestando todo o apoio às famílias". O CCBM não informa se há outros desaparecidos.

 O acidente. O  acidente  em  um dos silos da Central de Concreto aconteceu durante uma operação de descarga de um caminhão. Segundo a Polícia Civil de Altamira, "um silo de estocagem de cimento, composto por tubos que tem capacidade para 1.200 toneladas, se soltou e caiu sobre os trabalhadores". 

De acordo com o CCBM, existem 12 silos no sítio Belo Monte, incluindo o que desabou. O acidente ocorreu a um hora da saída. O local contava com de cerca de 100 trabalhadores no turno da noite na Central de Concreto. 

Os primeiros socorros aos feridos foram prestados por equipes médicas do CCBM no local e em seguida foram transferidos com apoio do Samu para hospital da região. Dois com ferimentos leves e já liberados e um com fratura no ombro que está em observação. 

De acordo com a nota "três funcionários que trabalhavam no local não foram localizados pelas equipes de resgate baseadas naquele canteiro de obras". 

Equipes de peritos não estão local desde as primeiras horas da manhã. Inquérito foi instaurado na delegacia de Altamira para investigar as causas do acidente.  "O Consórcio Construtor Belo Monte está, desde o primeiro momento, prestando todo o atendimento aos funcionários e colaborando com o trabalho de peritos e agentes da Polícia Civil", diz em nota o consórcio. 

Em 2014. O sinaleiro Marcos da Silva Alves, 47 anos, trabalhador do CCBM morreu atropelado durante a noite  em acidente ocorrido dentro do sítio Canais e Diques. O acidente, segundo confirmou na época o CCBM, aconteceu por volta das 22 horas na área denominada "Bota Fora 32", uma frente de serviço próxima às escavações do canal de Derivação. 

Com previsão de ser concluída em 2019. Quando estiver em funcionamento, a Usina com investimento de R$ 29 bilhões, terá potencia de 11.233 MW  e deve gerar 4.571 MW médios. A construção e operação foram leiloadas em abril de 2010.

Desde o início as obras da usina sofreram cerca de 20 paralisações. Ora por determinações judiciais, ora por protestos de ambientalistas e trabalhadores rurais e também por trabalhadores dos diversos canteiros de obra da Usina (reivindicando melhorias salariais).

Mais conteúdo sobre:
Belo Monte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.