Acidentes de trabalho dão prejuízo de US$ 76 bilhões na AL

Estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) mostra que a falta de segurança no trabalho tem impacto profundo na pobreza e na produtividade dos países da América Latina e Caribe. Com base em dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), especialistas do BID estimam que os países da região perdem cerca de US$ 76 bilhões por ano em conseqüência de acidentes fatais de trabalho ou devido às seqüelas provocadas por esses acidentes. "Essa cifra representa entre 2% e 4% do PIB da região", afirma Roberto Iunes, especialista em saúde do BID.Na América Latina, entre 27 mil e 68 mil pessoas perdem a vida a cada ano por causa de acidentes de trabalho. Outros 20 milhões a 80 milhões sofrem algum tipo de acidente ou doença de grau diferente por causa dos riscos físicos, químicos, biológicos, ambientais e sociais aos quais estão sujeitos no trabalho. Se houvesse a devida proteção, com a que oferecem as economias mais desenvolvidas, a América Latina poderia salvar pelo menos 16,5 mil vidas por ano e melhorar a saúde de milhões de trabalhadores, afirma o BID.Dados da OIT mostram que a força trabalhista latino-americana, que já supera os 200 milhões de pessoas, continua crescendo a um ritmo superior ao da média mundial. Especialistas consultados pelo principal organismo multilateral de financiamento para a região informaram que, na América Latina e o Caribe, há pouco interesse, tanto por parte dos governos como do setor privado, sobre o alto risco das condições de trabalho e sobre suas conseqüências."Este fato, somado às estatísticas que subestimam a verdadeira magnitude do problema e da falta de capacidade institucional para enfrentá-lo faz com que a América Latina se encontre hoje em uma situação gravíssima", diz Iunes. "Pior, mesmo existindo leis, elas não são cumpridas."Iunes informa que o BID está fazendo um esforço para que a segurança de trabalho seja incluída em seus projetos e faça parte das políticas públicas dos países latino-americanos. "Dada a precária situação que enfrenta a América Latina, a margem para reduzir as perdas por causa dos acidentes de trabalho é gigantesca", afirma o BID.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.