Acionista tem até o dia 31 para decidir sobre IR

O ano chegou com uma novidade desfavorável para a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A alíquota do Imposto de Renda sobre os lucros de negócios com ações passou de 10% para 20%. Quem comprou ações por meio de corretoras pode fazer o ajuste e recolher o IR com alíquota antiga, de 10%, até o dia 31. Não será preciso vender os papéis e o cálculo deve ser feito sobre a diferença apurada entre o preço de compra e a média da cotação do papel em dezembro. A Bolsa vai divulgar ainda lista com a cotação média das ações no mês passado. Feito o ajuste e recolhido o imposto, o cálculo passa a ser outro. Em caso de venda posterior, a nova alíquota, de 20%, alcançará o lucro apurado sobre a diferença entre a cotação média de dezembro e o valor de venda. Se não houver o ajuste de transição, com recolhimento voluntário até o fim do mês, o investidor pagará 20% de IR sobre o lucro dado pela diferença entre o preço de aquisição e o de venda. No caso dos fundos de ações, os administradores farão o recolhimento automaticamente, usando a possibilidade de pagar ainda 10% de IR.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.