Acionistas do Lloyds devem aprovar emissão de 13,5 bi de libras

Investidores do britânico Lloyds devem aprovar nesta quinta-feira a emissão recorde de papéis da instituição, mas criticar os executivos do grupo por erros cometidos durante a crise financeira.

REUTERS

26 de novembro de 2009 | 08h48

O Lloyds, que tem mais investidores que qualquer outra companhia britânica após a aquisição do HBOS em janeiro, está buscando aprovação para levantar 13,5 bilhões de libras (22,5 bilhões de dólares) para conseguir deixar um custoso pacote de socorro do governo. A reunião ocorre dois dias após o Banco da Inglaterra ter admitido que emprestou secretamente ao HBOS e ao Royal Bank of Scotland quase 62 bilhões de libras durante a crise.

O Lloyds informou este mês que planejava deixar um programa de socorro do governo voltado a empréstimos podres e buscar apoio entre investidores para levantar um total de 22,5 bilhões de libras para readequar seu caixa esgotado com a aquisição do

HBOS.

O Lloyds tem 2,8 milhões de pequenos investidores e muitos deles vão se reunir em uma arena de Birmingham que normalmente abriga eventos esportivos e musicais.

A instituição já pediu aos acionistas 4 bilhões de libras este ano.

Além da emissão das novas ações, o Lloyds está levantando 9 bilhões de libras com uma troca de dívida.

Analistas sustentam que uma votação positiva nesta quinta-feira vai remover incertezas que pairam sobre o Lloyds após meses de debate sobre autoridades de defesa da concorrência da Europa e empréstimos de difícil recuperação.

(Por Clara Ferreira-Marques)

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSLLOYDSOFERTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.