coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Aço: Gerdau é a única que pode ganhar

As restrições norte-americanas aos produtos siderúrgicos estrangeiros terá efeito contrário para a Gerdau. Segundo analistas, a empresa pode até ganhar com as novas medidas. Isso porque, com a sobretaxa de 15% para a importação de vergalhões, os produtos norte-americanos vão ficar mais competitivos. "Como a Gerdau controla a segunda maior produtora de vergalhões nos Estados Unidos, a Ameristeel, o ganho da empresa poderá ser beneficiado", afirma a analista do setor siderúrgico da BES Securities, Cristiane Viana, que recomenda a compra de ações da companhia.Segundo comunicado da companhia, a empresa não seria prejudicada pelo encarecimento dos produtos importados, dado que as suas siderúrgicas nos Estados Unidos "operam independentes e não necessitam de insumos importados do Brasil". O analista de siderurgia do ABN Asset Management, Ricardo Maeji, concorda com a opinião da analista da BES Securities. "Um outro efeito seria a alta do preço destes produtos no mercado norte-americano, a fim de acompanhar o encarecimento do produto importado. Nesta situação, a Gerdau também seria favorecida", avalia.Júlio Ziegelmann, da BankBoston Asset Management, concorda com a avaliação, mas não alterou a sua projeção para o preço-alvo das ações preferenciais (PN, com direito a voto) da empresa, em R$ 39,60 no prazo de 12 meses. Este preço projeta um ganho de 49,37%.Veja no link abaixo a opinião de analistas sobre o impacto das regras para a importação de aço nos Estados Unidos para o setor siderúrgico no Brasil e as perspectivas para a ações destas empresas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.