Ações: ABN recomenda ADRs da Vale

O ABN Amro Bank está reiterando sua recomendação de compra para a Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) através dos seus ADRs, recibos através dos quais ações de empresas com sede em outros países são negociadas nos Estados Unidos. Os analistas Marcelo Chan e Fernando Romero-Carranza mantiveram o preço alvo dos papéis em US$ 32 cada para prazo de 12 meses, o que implica num potencial de valorização de 47,97% frente à cotação do pregão de quarta-feira. O ABN estima que, dada a manutenção da forte demanda por minério de ferro, haverá crescimento no volume de remessas da CVRD para 29,1 milhões de toneladas neste ano, o que implica numa elevação de 16% na comparação com o ano passado. Parte deste aumento, segundo os analistas reflete a mudança no acordo de pedágio com as "joint ventures" da área de pelotização. Eles esperam, entretanto, uma redução da margem bruta para 51% no terceiro trimestre deste ano, frente aos 55% no mesmo período de 99. Esta queda pode ser atribuída aos maiores custos das "pelotas" e também da energia consumida pelo sistema ferroviário administrado pela companhia. Os analistas destacaram que a CVRD tem pagado regularmente dividendos como uma maneira de reduzir a sua taxa de pagamentos de impostos. A expectativa é que o quociente de distribuição de dividendos do primeiro semestre, de 48%, será mantido no terceiro trimestre. O pagamento de dividendos do terceiro trimestre, no valor de R$ 220 milhões, resultará numa redução do índice de pagamento de impostos para 7% no período, frente aos 32% verificados no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.