Estadão
Estadão

Ações anticorrupção impulsionaram compliance nas empresas, diz Amcham

Segundo pesquisa da instituição, 60% dos empresários consultados acreditam que a operação Lava Jato e a Lei Anticorrupção aceleraram programas de integridade

Fátima Laranjeira, O Estado de S.Paulo

27 Julho 2016 | 17h56

SÃO PAULO - A operação Lava Jato e a Lei Anticorrupção aceleraram a implementação de programas de compliance e gestão de risco nas empresas brasileiras, segundo pesquisa da Câmara Americana de Comércio - Amcham, realizada na manhã desta quarta-feira, 27. A Amcham ouviu 180 gestores de companhias de todos os portes e segmentos durante o III Seminário de Compliance promovido pela entidade nesta quarta, em São Paulo.

De acordo com o levantamento, 60% dos empresários afirmaram que as ações anticorrupção em curso no País trouxeram impacto direto no investimento em programas de integridade da organização. E 61% dos entrevistados avaliaram que a entrada em vigor da Lei Anticorrupção mudou a conscientização sobre questões referentes a este tema.

Na pesquisa realizada pela Amcham, 73% das empresas informaram já possuir um programa formal de compliance. Apesar disso, 69% deles ainda veem fragilidades internas, com necessidade de avanços no programa e maior pulverização de ações anticorrupção nos demais processos da organização. Uma parcela menor, 31% dos empresários, considera que seus programas estão maduros e culturalmente implementados em toda a organização.

A pesquisa da Amcham identificou também necessidades de avanços na regulamentação do lobby no Brasil. A maioria dos empresários (61%) a considera como prioritária dentro das ações anticorrupção.

Outro ponto com necessidade de avanço identificado pela pesquisa Amcham diz respeito ao programa de integridade gerenciado pelo Ministério da Transparência, que busca o cumprimento de normas anticorrupção. Um porcentual de 50% dos empresários informou ainda conhecer pouco desta ação do governo federal.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.