Ações asiáticas ampliam perdas após PMI preliminar da China

As ações asiáticas ampliaram as perdas nesta quinta-feira, depois que dados indicaram pouco alívio para o setor industrial chinês, mantendo incerto o cenário sobre se autoridades da segunda maior economia do mundo irão seguir o ímpeto global de ações de estímulo.

Reuters

20 de setembro de 2012 | 07h55

O índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar do HSBC para a China subiu para 47,8 em setembro ante a mínima de nove meses atingida em agosto de 47,6, mas continuou abaixo de 50 pelo 11o mês seguido, mostrando que o setor ainda está contraindo. Um índice de produção atingiu o menor nível em dez meses.

"Os dados terão que ser, provavelmente, muito piores do que isso para que Pequim corte as taxas de juros ou as taxas de compulsório para os bancos com a aproximação do 18o Congresso Nacional do Partido", afirmou o analista de ações do Julius Baer's Greater China Alan Lam.

Às 7h45 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão ampliava a queda para 1,21 por cento depois dos dados do PMI. As perdas no índice australiano eram limitadas, caindo 0,48 por cento.

As ações de Xangai cederam 2,08 por cento, levando as ações de Hong Kong para uma queda de 1,20 por cento.

O índice Nikkei do Japão perdeu 1,57 por cento, retraindo da máxima de quatro meses e meio atingida na quarta-feira.

A bolsa de Cingapura fechou em queda de 0,42 por cento, enquanto Taiwan recuou 0,70 por cento.

(Reportagem de Chikako Mogi; reportagem adicional de Clement Tan em Hong Kong e Melanie Burton em Cingapura)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.