Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Ações asiáticas atingem mínima de 4 meses com distúrbios em Hong Kong

As ações asiáticas caíram para uma mínima de quatro meses nesta segunda-feira uma vez que agitações políticas em Hong Kong abalaram investidores.

HIDEYUKI SANO, REUTERS

29 de setembro de 2014 | 07h50

Às 7h38 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão recuava 1,21 por cento, sem conseguir aproveitar o desempenho em Wall Street na sexta-feira e atingindo seu menor nível desde meados de maio.

As ações de Hong Kong caíram 1,9 por cento com os piores distúrbios desde que a China retomou o controle da ex-colônia britânica há duas décadas.

O governo de Hong Kong anunciou nesta segunda-feira que retirou a polícia das ruas da cidade depois que os manifestantes pró-democracia começaram a recuar no centro financeiro da cidade.

Os mercados na China continental tiveram desempenho melhor, com as ações de Xangai em alta de 0,43 por cento.

O índice japonês Nikkei também avançou, subindo 0,5 por cento, com a fraqueza do iene ajudando o setor exportador.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.