Ações asiáticas caem com ansiedade sobre crescimento mundial apesar de dados chineses

Ações asiáticas caem com ansiedade sobre crescimento mundial apesar de dados chineses

As quedas nos mercados da Ásia vieram após queda nas ações norte-americanas registrada na sexta-feira

IAN CHUA, REUTERS

13 de outubro de 2014 | 07h56

As ações asiáticas recuaram a mínimas de sete meses nesta segunda-feira depois que números promissores sobre a balança comercial da China não conseguiram dar ânimo a um mercado ainda preocupado com o fraquejante crescimento global.

Às 7h45 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caía 0,5 por cento, ampliando a queda de 1,1 por cento da semana passada.

O índice japonês Nikkei salvou-se das perdas graças a um feriado público no país.

As quedas nos mercados asiáticos vieram após queda nas ações norte-americanas na sexta-feira e o índice de volatilidade CBOE de Wall Streat ter saltado para perto de uma máxima de dois anos.

Investidores têm reduzido suas exposições a ativos de risco de modo intenso com a Europa encarando a perspectiva de uma recessão; a economia japonesa tropeçando; a expansão da China desacelerando e o Federal Reserve, banco central dos EUA, caminhando para encerrar logo seu estímulo de compra de títulos.

O índice MSCI da Ásia registrou queda em todas as últimas cinco semanas e está agora a cerca de 10 por cento de um pico de sete anos atingido no começo do mês passado.

No entanto, números desta segunda-feira que mostraram que as importações e exportações chinesas cresceram acima das expectativas tiveram pouco sucesso em restaurar a confiança do mercado.

"Ainda estou um pouco hesitante em me tornar bastante altista devido ao crescimento das exportações, simplesmente olhando para o estado da economia global", disse o economista-chefe para China do RBS em Hong Kong, Louis Kuijs.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.