Ações asiáticas e euro caem com temores de resgate à Espanha

As ações asiáticas caíam e o euro chegou perto de atingir as mínimas de vários anos na segunda-feira, à medida que a Espanha despertou preocupações sobre sua capacidade de evitar um plano de resgate financeiro após duas regiões endividadas buscarem auxílio financeiro do governo central.

Reuters

23 de julho de 2012 | 08h05

Temores de que a quarta maior economia da zona do euro seja forçada a seguir o caminho da Grécia, Portugal e Irlanda --que foram resgatados por credores internacionais após suas taxas de empréstimos atingirem níveis insustentáveis --levaram os rendimentos de 10 anos do Tesouro norte-americano para uma mínima recorde de 1,4365 por cento na manhã na Ásia.

"Como muitas outras vezes ao longo dos últimos dois anos ou mais, o mercado foi lembrado da fragilidade de qualquer rali, e de como as minas terrestres da Europa estão sempre presentes e prontas para serem detonadas a qualquer hora", disse o analista da IG Markets, Cameron Peacock.

Às 7h50 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caía 2,36 por cento, com 402 pontos, a maior queda em um dia em cerca de dois meses.

A média de ações Nikkei do Japão recuou 1,86 por cento, após os mercados de ações globais serem atingidos na sexta-feira pelo pedido de ajuda financeira da região espanhola de Valência ao governo central.

Mais notícias ruins surgiram da Espanha no fim de semana, quando outra região, Murcia, afirmou no domingo que iria procurar ajuda do governo.

O euro ampliou sua queda contra o yen japonês, atingindo a mínima desde novembro de 2000, em cerca de 94,60 yens, e recuou para mínima de dois anos contra o dólar, em cerca de 1,2103 dólar.

A bolsa de Cingapura teve queda de 1,10 por cento, a 2.982 pontos, Taiwan recuou 1,9 por cento e Hong Kong caiu 2,99 por cento. O índice referencial de Xangai recuou 1,26 por cento e Sydney também caiu 1,67 por cento.

(Reportagem de Chikako Mogi)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.