Ações asiáticas fecham em queda, mas Japão tem retomada

As ações asiáticas recuaram nesta terça-feira em meio a realização de lucros nos mercados da China e de Hong Kong, enquanto os papéis em Tóquio se recuperaram por expectativas de que o Japão irá optar pela eleição antecipada que pode levar a novas medidas de estímulos.

HIDEYUKI SANO E SHINICHI SAOSHIRO, REUTERS

18 de novembro de 2014 | 08h00

Às 7h15 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão recuava 0,2 por cento.

As ações em Hong Kong e na China tiveram queda pelo segundo dia consecutivo após a estreia da histórica conexão de negociação entre Hong Kong e Xangai, conforme investidores continuaram realizando lucros em ações que tiveram fortes altas antes. Dados negativos sobre preços de moradias na China também enfraqueceram a confiança.

O índice Hang Seng de Hong Kong perdeu 1,13 por cento e o índice de Xangai caiu 0,67 por cento.

O índice Nikkei de Tóquio, por outro lado, teve forte alta, com o mercado aguardando se o primeiro-ministro, Shinzo Abe, irá convocar eleição antecipada, adiará o aumento no imposto sobre vendas que havia sido planejado para outubro do ano que vem e se considerará mais estímulos econômicos.

O Nikkei teve alta de 2,18 por cento, apagando boa parte da queda de 3 por cento sofrida na segunda-feira quando dados chocantes mostraram que o Japão entrou em recessão.

Caso realmente convoque uma eleição, Abe terá esperança de que seu Partido Liberal Democrata derrote a oposição fraca para reafirmar seu mandato.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.