Ações asiáticas sobem após acordo sobre a Grécia

As ações asiáticas avançaram pela sétima sessão seguida nesta terça-feira, ao passo que os credores globais chegaram a um acordo sobre as novas metas de dívida para a Grécia e um acordo político sobre o desembolso da próxima parcela de ajuda ao país.

Reuters

27 de novembro de 2012 | 08h10

Após horas de negociações na terceira reunião em várias semanas, os credores internacionais da Grécia concordaram com um pacote de medidas para cortar a dívida grega para 124 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) até 2020, e prometeram tomar mais ações para diminuir o déficit abaixo de 110 por cento do PIB em 2022.

O presidente do Eurogroup, Jean-Claude Juncker, disse que os ministros irão aprovar formalmente a liberação da crucial ajuda para a endividada Grécia, removendo incertezas sobre se Atenas pode evitar a bancarrota no curto prazo.

Às 7h47 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia 0,6 por cento, aproximando-se do maior nível em três semanas, liderado por um aumento de 0,87 por cento nas ações sul-coreanas e de 0,74 por cento no mercado australiano.

As ações de Xangai foram na contramão e perderam 1,30 por cento, atingindo o menor nível desde 2009, puxadas por fraqueza em empresas sensíveis ao crescimento.

"Pairam sobre o mercado há um tempo essas preocupações macroeconômicas, portanto progresso para sair dessa situação dá espaço para o mercado subir", afirmou o diretor do BestEx, Phillip Weinberg.

O índice Nikkei do Japão avançou 0,37 por cento. O índice subiu mais de 8 por cento em duas semanas, à medida que o iene enfraqueceu devido a expectativas de uma política monetária mais frouxa com a eleição provável de um novo governo.

O mercado teve ligeira queda de 0,08 por cento em Hong Kong, enquanto a bolsa de Taiwan subiu 0,31 por cento e Cingapura avançou 0,25 por cento.

(Reportagem de Chikako Mogi; reportagem adicional de Victoria Thieberger em Melbourne)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.