Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Ações asiáticas têm estabilidade após dois dias de perdas

As ações asiáticas ficaram estáveis nesta terça-feira, interrompendo uma sequência de dois dias de quedas, ao passo que um inesperado aumento nas vendas varejistas nos Estados Unidos impulsionaram o otimismo com a recuperação da maior economia do mundo.

CHIKAKO MOGI, Reuters

26 de novembro de 2013 | 15h45

As vendas no varejo nos Estados Unidos subiram inesperadamente em abril, levando os bancos Goldman Sachs e JPMorgan a elevar sua visão sobre o crescimento do segundo trimestre. Mais dados serão divulgados esta semana, incluindo produção industrial, início de construção de moradias e sentimento do consumidor.

Às 7h50 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão tinha leve alta de 0,04 por cento, com as ações australianas subindo 0,2 por cento e as sul-coreanas ganhando 1,03 por cento.

"O apetite de compra renovado do investidor estrangeiro, encorajado pelos dados de vendas no varejo dos EUA, está impulsionando o mercado hoje" afirmou o analista de mercado do NH Investment & Securities Cho Seong-joon sobre as ações de Seul.

Mas as ações chinesas caminharam para a pior perda diária em três semanas, puxando os mercados de Hong Kong para o vermelho, depois que a mídia oficial sugeriu que Pequim não deve afrouxar a política apesar dos fracos dados econômicos de abril. As ações de Hong Kong caíram 0,26 por cento, enquanto o mercado em Xangai recuou 1,11 por cento.

O índice Nikkei, do Japão, anulou ganhos iniciais e encerrou em leve queda de 0,16 por cento, à medida que investidores realizaram lucros depois que o índice avançou 1,7 por cento na segunda-feira, atingindo uma nova máxima desde janeiro de 2008.

A bolsa de Taiwan teve leve alta de 0,04 por cento, enquanto Cingapura subiu 0,11 por cento.

(Reportagem adicional de Jungyoun Park em Seul)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.