Ações asiáticas têm ganhos modestos por dados abaixo das expectativas e crise na Ucrânia

As ações asiáticas conseguiram ganhos modestos nesta quarta-feira, uma vez que investidores continuaram cautelosos após dados da China e do Japão que vieram abaixo das expectativas e conforme a crise na Ucrânia ameaça uma frágil recuperação econômica na Europa.

HIDEYUKI SANO E LISA TWARONITE, REUTERS

13 de agosto de 2014 | 07h55

As ações da China continental foram derrubadas de suas máximas por dados de empréstimos surpreendentemente fracos, e outros dados divulgados mais tarde na sessão também ficaram aquém das expectativas. Alguns economistas acreditam que mais estímulos podem ser necessários para sustentar a recuperação e compensar o peso do esfriamento do mercado imobiliário.

Às 7h45 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão <.miapj0000pus> avançava 0,54 por cento, depois de o índice japonês Nikkei <.n225> fechar em alta de 0,35 por cento, desprezando dados negativos de crescimento.

A Agência Nacional de Estatísticas da China divulgou números mostrando que a produção industrial subiu 9 por cento em julho ante o ano anterior, como esperado, enquanto as vendas no varejo subiram 12,2 por cento, um pouco abaixo das projeções. Os investimentos em ativos fixos, um importante motor da atividade econômica, também ficou abaixo das previsões, crescento 17 por cento nos primeiros sete meses ante o mesmo período do ano passado. [nL2N0QJ0E1]

"As instituições vão levar todos estes dados em consideração, portanto não podemos dizer imediatamente se o recente rali do mercado acabou ou não", disse o analista de ações da Guodu Securities, Xiao Shijun.

Investidores também estavam atentos aos acontecimentos na Ucrânia, conforme um comboio de 280 caminhões russos carregando ajuda humanitária rumava para o leste da Ucrânia, onde forças do governo estão se aproximando de rebeldes pró-Rússia.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.