Ações: Bear recomenda setor de celulares

O banco de investimentos norte-americano Bear Stearns elevou a recomendação dos papéis de cinco operadoras brasileiras de telefonia celular. Tiveram suas indicações alteradas de atrativa para compra as ações da Telemig Celular, Tele Norte Celular, Tele Leste Celular e Tele Nordeste Celular. Essas ações são representadas por ADRs, American Depositary Receipts, recibos de ações de empresas brasileiras para negociação em Nova York. Segundo os analistas Alexandre Constantini e Rizwan Ali, esses papéis estão com preços atrativos. Eles explicaram que, apesar da forte valorização do começo do ano, os papéis foram recentemente abalados pela queda das ações de empresas celulares européias e pela volatilidade da bolsa americana de tecnologia, a Nasdaq. O Bear Stearns decidiu ainda aumentar a classificação dos papéis da Telesp Celular, de neutra para atrativa. Para Constantini, a operadora paulista foi uma boa surpresa porque suas ações tornaram-se baratas frente ao potencial de crescimento da companhia, e também porque elas são as mais negociadas do mercado. Para o analista, a empresa é que está melhor posicionada para se beneficiar da exploração de serviços de transmissão de dados pela Internet sem fio no País, além de ter chances de ser líder no comércio eletrônico via WAP. O Bear Stearns decidiu reiterar a recomendação neutra para os ADRs da Tele Celular Sul e atrativa para os da Tele Centro Oeste Celular. Segundo o analista Alexandre Constantini, a Tele Celular Sul está sendo negociada próximo ao seu preço-alvo, fixado em US$ 28 para um prazo que se estende até o final de 2001. O potencial de alta reduzido, de 9%, não compensaria uma posição mais agressiva do investidor. Já os ADRs da Tele Centro Oeste Celular apresentam um potencial de valorização de 30%. O analista está embutindo nos preços-alvo dos ADRs das companhias de telefonia celular, para o final de 2001, prêmios que variam de 10% a 25%. O motivo é a intensificação do processo de consolidação do setor que deve render valorizações adicionais para todas as empresas envolvidas em futuros negócios de fusões e aquisições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.