Ações: Bear recomenda Usiminas

O Bear Stearns alterou a recomendação dos papéis da Usiminas para atrativo. A instituição aponta preço-alvo de US$ 6,50 por ADR - recibos, através dos quais ações de empresas sediadas em outros países são negociadas na Bolsa de Nova York. O prazo para que esse valor seja alcançado não foi divulgado. No relatório divulgado hoje, os analistas Daniel C. Altman e Eric Weisleder afirmaram que o elevado endividamento da companhia é um fator de preocupação. Eles estimam que a dívida líquida da companhia deverá ficar em torno de US$ 2,7 bilhões em 2001, começando a apresentar maior redução a partir de 2002, quando os gastos com a Cosipa estiverem sendo concluídosEles destacaram que a companhia deve fechar o ano com um aumento de 25% nas vendas para o mercado interno. Para 2001, os analistas esperam um aumento de 5% no volume de vendas, em função do forte desempenho de alguns setores, como o automotivo e de energia. No entanto, a queda nos preços internacionais do aço deverá repercutir também no mercado interno no próximo ano. Os analistas lembraram que a demanda de aço no mercado doméstico permitiram que a Usiminas ficasse menos dependente do mercado externo. O desempenho da companhia no terceiro trimestre foi um pouco superior à expectativa. O Ebitda - sigla inglesa que significa rendimento da empresa sem considerar os juros, impostos, amortizações e depreciações - de US$ 737 milhões ficou 5% acima das suas projeções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.