Ações caem com nervosismo sobre crescimento global; PMI da China não impressiona

As ações asiáticas fecharam em queda nesta quinta-feira depois que o recuo em Wall Street e nos preços de petróleo reavivaram o nervosismo de investidores sobre o crescimento global, com os dados que mostraram um cenário misto na atividade industrial chinesa não conseguindo impressionar mercados.

HIDEYUKI SANO, REUTERS

23 de outubro de 2014 | 07h48

Às 7h42 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão recuava 0,20 por cento, enquanto o índice japonês Nikkei fechou com queda de 0,37 por cento.

Turbulências têm tomado conta dos mercados mundiais nas últimas semanas devido ao nervosismo sobre o crescimento global em desaceleração. Investidores têm sido abalados, em particular, pela ameaça de recessão na Europa e a desaceleração da economia chinesa ao seu nível mais fraco em mais de cinco anos no terceiro trimestre.

A mais recente leitura sobre a atividade industrial na China teve pouco sucesso em aliviar estas preocupações. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar do HSBC/Markit avançou para a máxima de três meses de 50,4, ante leitura final em setembro de 50,2, pouco abaixo da expectativa de analistas de 50,3.

No entanto, o nível de produção nas fábricas caiu para a mínima de cinco meses de 50,7, pouco acima da marca de 50 que separa crescimento de contração, indicando uma economia ainda frágil.

"Embora o setor industrial provavelmente tenha estabilizado em outubro, a economia continua mostrando sinais de demanda efetiva insuficiente", disse o economista-chefe para a China do HSBC, Hongbin Qu.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.