Ações caem na Europa após dados dos EUA e JPMorgan

O mercado europeu de ações registrou queda nesta sexta-feira após dados piores que o esperado sobre a confiança do consumidor norte-americano e um resultado decepcionante do banco JPMorgan, que pressionou as ações de bancos europeus.

REUTERS

15 Janeiro 2010 | 15h12

O índice FTSEurofirst 300 fechou a sessão com queda de 1,09 por cento, aos 1.051 pontos.

"Gostaria de ver um pouco mais dos dados de Michigan (sobre confiança do consumidor norte-americano). Embora os dados preliminares tenham sido melhores que os anteriores, ainda ficou abaixo do esperado", disse o estrategista-chefe de global equity da Cantor Fitzgerald, Stephen Pope.

O indicador registrou seu resultado mais alto desde setembro de 2009, mas ficou aquém da previsão média de analistas, de 73,9, segundo recente pesquisa da Reuters.

Os bancos foram os que mais pesaram nesta sexta-feira após o JPMorgan informar que suas perdas com hipotecas e empréstimos comerciais continuaram aumentando. Seu lucro para o quarto trimestre, no entanto, saltou para 3,3 bilhões de dólares, superando expectativas.

As ações dos bancos BNP Paribas, Société Générale, Credit Suisse e UBS tiveram desvalorização de entre 2,7 e 4,1 por cento.

Já os papéis do setor de energia também tiveram baixa, com a queda de 1 por cento dos preços do petróleo bruto. BG Group, Cairn Energy e Total recuaram entre 0,4 e 2,4 por cento.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 0,78 por cento, a 5.455 pontos

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,89 por cento, para 5.875 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 recuou 1,53 por cento, para 3.954 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib encerrou em queda de 1,4 por cento, a 23.472 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou desvalorização de 1,29 por cento, para 11.845 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve variação negativa de 2,33 por cento, para 8.494 pontos.

(Reportagem de Joanne Frearson)

Mais conteúdo sobre:
BOLSA EUROPA FECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.