Ações contra corralito levam caos à justiça argentina

As ações judiciais contra o ?corralito? superam todos os recordes da Justiça argentina e já atingiram a soma de 16.498 mil denúncias somente neste ano. Os tribunais estimam que a situação se agravará ainda mais nos próximos dias, antes de vencer o prazo para apresentação de denúncia. As ações, cuja maioria pede a inconstitucionalidade do "corralito" e dos depósitos feitos em dólares, estão levando o sistema da Justiça ao risco de colapso. Tanto que o foro chamado de Contencioso Administrativo Federal, primeira instância por onde deve tramitar este tipo de ação, decidiu tornar sem efeito os prazos que os juízes deveriam obedecer para ditar sentenças nos julgamentos ordinários. O governo, por sua vez, decidiu mudar o artigo do decreto que proibia por 180 dias a apresentação de qualquer ação contra o ?corralito?. A partir de agora, as ações poderão ser impetradas, porém o cumprimento das sentenças somente poderá ser feito seis meses após a decisão judicial.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.