Ações da Ahold caem 54% com revelação de erro contábil

As ações da rede holandesa de supermercados Ahold despencaram 54% na Europa, com a revelação de que seu lucro foi inflado em mais de US$ 500 milhões durante dois anos. A empresa é a terceira maior rede varejista do mundo. No Brasil, controla as redes Bom Preço e G. Barbosa, que operam da região nordeste do país. Segundo o site da empresa, em 2002, as duas redes detinham juntas cerca de 150 supermercados e hipermercados. De acordo com Henny de Ruiter, chefe do conselho de supervisão da empresa, foram encontrados cortes irregulares no lucro da unidade norte-americana Foodservice e na argentina Disco. A companhia informou que o anúncio de seu resultado, previsto para a próxima semana, foi adiado. A Ahold afirmou ainda que o lucro em 2002 deve ficar "bem abaixo do esperado" e que terá de republicar o balanço de 2001 e dos três primeiros trimestres de 2002. O diretor-executivo da empresa, Cees van der Hoeven, e o diretor-financeiro, Michiel Meurs, foram afastados. O anúncio do resultado a Ahold, que seria na próxima semana, foi adiado. O grupo Ahold foi fundado em 1887 e durante a década passada realizou 50 aquisições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.