finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ações da Ásia recuam e iene dispara com temor sobre crédito

As bolsas de valores da Ásiaencerraram em queda acentuada nesta sexta-feira, enquanto osbônus do governo japonês e o iene avançaram. Investidoresdeixaram ativos mais arriscados, temendo aumento de custos decrédito para empresas possam prejudicar a economianorte-americana. O iene atingiu maior pico dos últimos três meses contra odólar depois que investidores abatidos por dados fracos dosetor imobiliário dos Estados Unidos e problemas em mercados decrédito correram para recomprar moeda japonesa que haviamemprestado para financiar compras de ativos mais rentáveis. A bolsa de TÓQUIO caiu 2,4 por cento, encerrando no menornível dos últimos três meses. Na quinta-feira, o mercado haviarecuado 0,9 por cento. A Sony foi uma das poucas ações que foram na contra-mão domercado, avançando 1,1 por cento depois que seus resultadostrimestrais superaram expectativas. Outros mercados asiáticos acompanharam perdas ocorridas emWall Street durante a noite e que foram as piores desde a ondaglobal de vendas disparada em 27 de fevereiro. O índice MSCI que reúne os principais mercados da Ásia,exceto Japão, caía 3,8 por cento, afastando-se ainda mais derecorde alcançado no início desta semana. Na Coréia do Sul, a bolsa de SEUL despencou 4,1 por cento,a maior queda dos últimos três anos e o mercado de TAIWANseguiu o ritmo, recuando 4,2 por cento. Em HONG KONG, a bolsa registrou perda de 2,76 por cento, emSYDNEY houve recuo de 2,81 por cento e Cingapura perdeu 2,43por cento. Na China, a bolsa de XANGAI ficou praticamente estável, comleve desvalorização de 0,03 por cento. REUTERS AAJ VS

TOMASZ JANOWSKI, REUTERS

27 de julho de 2007 | 08h02

Tudo o que sabemos sobre:
NEGOCIOSBOLSAASIAFECHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.