Wilton Junior|Estadão
Wilton Junior|Estadão

Ações da Eletrobrás têm movimento acima da média recente antes do anúncio de privatização

Giro de ações foi considerado atípico e chama a atenção dos operadores de mercado; em alguns dias, negociação foi impulsionado pela divulgação da proposta de aprimoramento do marco regulatório do setor elétrico

Karin Sato, O Estado de S.Paulo

24 Agosto 2017 | 18h21

Os pregões que antecederam o anúncio da pretensão do governo de privatizar a Eletrobrás contaram com movimentação acima da média recente para os papéis da empresa de energia, na avaliação de profissionais do mercado. A divulgação pela companhia ao mercado foi realizada na última segunda-feira, 21, apenas após o fechamento do pregão. Porém, a ação ordinária e a preferencial encerraram a sessão com a terceira e a quinta maiores variações de alta do Ibovespa, que no mesmo dia recuou 0,12%, aos 68.634,64 pontos.

A ação ordinária avançou 3,35%, enquanto a preferencial teve ganho de 2,65%. Nas cotações máximas do dia, os papéis chegaram a subir 3,93% e 3,28%, conforme dados do Estadão/Broadcast. Ambas passaram boa parte da manhã na liderança das variações positivas do Ibovespa, sem que operadores e analistas pudessem apontar uma razão específica para o movimento.

Além disso, o volume de negociação do papel ordinário aumentou nos três pregões que antecederam o anúncio. A média diária de negociação, no cálculo mensal, variou entre cerca de R$ 22 milhões e R$ 30 milhões nos últimos seis meses - o giro, em alguns dias, foi impulsionado pela divulgação da proposta de aprimoramento do marco regulatório do setor elétrico e pelo pessimismo entre investidores causado pelas denúncias envolvendo o presidente Michel Temer, que vieram à tona com declarações de executivos da JBS.

A cifra, no entanto, foi de R$ 38,420 milhões na quinta-feira, 17, R$ 51,610 milhões na sexta-feira, 18 e R$ 37,520 milhões na segunda-feira, 21. Nos pregões que completam a semana passada, dos dias 16, 15 e 14, o giro havia ficado entre R$ 18 milhões e R$ 21,7 milhões. 

Mais conteúdo sobre:
Eletrobrás Ações Privatização

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.