finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ações da Fiat sobem com boato de compra da Chrysler

Especulação cresceu quando presidente da montadora italiana cancelou entrevistas no Salão do Automóvel de Frankfurt

Reuters,

09 de setembro de 2013 | 13h07

MILÃO - As ações da Fiat italiana subiram 6,02% na Bolsa de Milão nesta segunda-feira, 9, com as notícias de um possível acordo para a compra do restante da unidade da americana Chrysler.

O negócio ainda não confirmado seria a razão para o cancelamento das entrevistas que estavam programadas para o Salão de Frankfurt, na Alemanha.

O Salão de Frankfurt, considerado o maior evento do mundo automotivo, ao lado do Salão de Paris, abre nesta terça-feira, 10, para a imprensa, com 159 lançamentos. A abertura para a público será na quinta-feira, 12, com a presença da chanceler alemã Angela Merkel.

Na sexta-feira o presidente executivo da Fiat Sergio Marchionne não iria mais ao Salão por 'compromissos profissionais', mas não deu mais detalhes.

"A ausência de Marchionne em um evento tão importante faz pensar que existe algo ainda mais importante em andamento, o que motiva a especulação", disse um operador da Bolsa de Milão.

Outro operador afirmou que Marchionne poderia estar envolvido em negociações com um fundo de investimento dos Estados Unidos  para fechar um acordo com a Chrysler.

   

Espera-se que a Fiat adquira 41,5% da Chrysler que pertence ao fundo e que em breve venha a fundir as duas companhias para criar o sétimo maior grupo automotivo do mundo em vendas.

O fundo de investimentos em saúde United Auto Workers se converteu no segundo maior acionista da Chrysler quando a fábrica de veículos saiu da crise em 2009 e os sindicatos trocaram dívidas futuras por participação na empresa.

Tudo o que sabemos sobre:
Fiat

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.