Ações da Gol disparam 16% após primeiro passo para o IPO do Smiles

Aviação. Seguindo o exemplo da rival TAM, que abriu o capital do Multiplus em 2010, companhia aérea transformou o programa de fidelidade em uma empresa separada e agora planeja ir à bolsa; resultados operacionais de novembro também têm efeito positivo

O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2012 | 02h07

No primeiro dia de pregão depois do feriado de Natal, as ações da Gol tiveram alta recorde no ano. Isso porque, na sexta-feira à noite, a companhia anunciou que teve bons resultados em novembro e também que o programa de milhagem Smiles agora é uma empresa independente, que poderá ter ações negociadas em bolsa. Com as notícias, os papéis da companhia dispararam 16% ontem.

Graças a essa alta, a empresa conseguiu reverter uma perda no ano de 9,5%, acumulada até o fim da semana passada. Agora, a Gol passou a ter valorização de 4,9% em 2012. No mesmo período, o índice Bovespa teve valorização de 7,5%.

"O cenário mudou", destacaram analistas do banco BTG, em relatório sobre a companhia divulgado ontem. Durante o mês de novembro, a empresa diminuiu em 16,9% a oferta doméstica de assentos na comparação com o mesmo mês do ano passado.

A redução ocorreu devido à redução de oferta nas operações da Webjet - empresa comprada por R$ 70 milhões em julho de 2011. No mês passado, porém, a Gol decidiu encerrar as atividades da controlada.

No relatório de novembro, a Gol também divulgou que teve ocupação de 69,8% dos assentos, com crescimento de 5 pontos porcentuais em relação a novembro de 2011. O valor médio pago por passageiro a cada quilômetro voado (yield líquido consolidado) teve aumento de aproximadamente 8,5% na comparação com o mesmo período de 2011, ficando entre R$ 23,20 e R$ 23,60. A receita líquida de passageiro por quilômetro subiu 17% na comparação anual.

"A decisão de reduzir capacidade e aumentar a exposição a passageiros de negócios permitiu à companhia reportar um robusto crescimento", disse o analista do UBS, Victor Mizusaki.

Ele também ressaltou que os bons números da Gol são resultado da nova administração. Desde junho, Paulo Kakinoff, ex-presidente da Audi do Brasil, assumiu o comando executivo da companhia no lugar de Constantino de Oliveira Júnior, dono da companhia de aviação.

Milhas. Seguindo uma estratégia adotada pela rival TAM em 2010, a Gol divulgou que estuda "a possibilidade de realizar uma oferta pública inicial de ações da Smiles, sem que haja qualquer estimativa ou previsão para a conclusão dessas análises".

Na sexta, a empresa divulgou que o Smiles, que até agora era administrado pela VRG Linhas Aéreas S.A. (a holding que controla as empresas VRG Linhas Aéreas S.A. e o grupo Gol), agora passa a ser a Smiles S.A., sociedade recentemente constituída e controlada pela companhia.

Em fevereiro de 2010, a TAM fez a oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Multiplus e levantou R$ 723,86 milhões. Um ano depois, a empresa de programa de fidelidade valia R$ 5,02 bilhões, contra R$ 6,18 bilhões da companhia aérea. Hoje, a Multiplus vale R$ 7,7 bilhões (a TAM fechou o capital em junho).

O Multiplus, porém, tem uma base de associados 18% maior que a do Smiles, podendo ser ainda maior se considerado o número de membros ativos. Conforme avaliações do BTG, o programa de fidelidade da Gol teria uma valor estimado de cerca de R$ 3 bilhões.

Com todas essas mudanças, a Gol "pode estar iniciando um processo de recuperação", disseram, em relatório, as analistas do Banco Itaú BBA Renata Faber e Thais Cascello. "Neste momento, os sinais de que essa recuperação terá sucesso estão mais claros do que estavam no passado", escreveram as analistas. /LÍLIAN CUNHA, COM AGÊNCIAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.