Ações da Google estrearam com alta de 18%

As ações da Google, que estrearam hoje na Nasdaq ? bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e Internet ?, encerraram o dia cotadas a US$ 100,30 em alta de 18% em relação ao preço de lançamento (US$ 85). Os papéis já iniciaram o pregão em forte alta, a US$ 100,01, 17,6% acima do preço final de lançamento. Foram negociadas 19,6 milhões de ações, bem abaixo da previsão inicial, que era de 25,7 milhões. A transação dará um valor à empresa de US$ 27,2 bilhões.A estréia da Google na bolsa foi marcada por uma confusão na reta final da colocação dos papéis da empresa. O tamanho da oferta das ações foi reduzido consideravelmente e houve uma forte queda no preço estipulado para a venda dos papéis. Inicialmente, a empresa havia informado às autoridades que as ações seriam colocadas por um preço entre US$ 108 e US$ 135. Contudo, na véspera da oferta dos papéis, a empresa anunciou que as ações ficariam entre US$ 85 e 95.Com um preço menor das ações, os co-fundadores da companhia reduziram pela metade o número de ações ofertadas. Segundo reportagem da publicação norte-americana ?The Wall Street Journal?, houve uma ?mistura de arrogância da própria Google, investidores teimosos e um mercado de tecnologia em deterioração?. A confusão envolveu também a violação do ?período de silêncio? determinado às empresas que pretendem abrir capital na bolsa. A Securities and Exchange Commission (SEC) ? comissão de valores mobiliários americana ? questionou a Google por uma entrevista dos fundadores da empresa à ?Playboy?. A decisão da companhia foi incluir a entrevista em seu informe à SEC.Perspectivas incertasSegundo analistas ouvidos pelo ?The Wall Street Journal?, ainda não é possível avaliar a eficiência do processo de abertura de capital da Google. Acredita-se que muitos investidores institucionais aguardaram a colocação dos papéis para decidir O certo é que a operação de colocação de ações na bolsa é a maior na história de uma empresa de Internet. Além disso, a história da Google é considerada um sucesso e analistas dizem que as perspectivas de crescimento da empresa são consideradas fortes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.