Ações da Microsoft caíram ontem

No dia seguinte à decisão judicial que ordenou a divisão da Microsoft em duas empresas, as ações da companhia caíram pouco mais de 2% na Nasdaq - bolsa norte-americana que negocia papéis de empresas de tecnologia. Na Bolsa de Nova Iorque, a ação chegou a subir 1%. Desde dezembro, os papéis da Microsoft já perderam quase 50% do seu valor.A decisão judicial é contestada pela Microsoft, que apresentou um pedido ao juiz Thomas Jackson para que suspenda a aplicação da segunda parte de sua sentença - determina correções de conduta, isto é, alterações e limitações nas práticas comerciais da Microsoft, que devem ser introduzidas no prazo de 90 dias. Antes da decisão de quarta-feira, houve tentativas de acordo entre a empresa e o governo. Elas não tiveram bons resultados porque a Microsoft nunca reconheceu ter violado as leis antitruste do país. Se o juiz recusar, e é muito provável que o faça, a empresa vai apelar a um tribunal federal de recursos, o mesmo que, no passado, lhe deu ganho de causa na reversão de uma decisão de Jackson. A parte da sentença que determina a divisão da Microsoft em duas já foi suspensa por Jackson na própria decisão, até que se esgotem os recursos. As ações da empresa podem cair ainda mais Um porta-voz da empresa, Mark Murray, reiterou a intenção da Microsoft de seguir a trajetória normal dos recursos, sem saltar etapas. E o próprio Bill Gates, em entrevista à rede nacional de televisão ABC na manhã de ontem, fez uma autocrítica surpreendente. Gates disse que Jackson não entendeu nada do que estava fazendo porque o funcionamento da indústria não lhe teria sido explicado adequadamente."O juiz não ouviu a história da indústria de computadores direito, de como essa indústria se tornou muito mais competitiva depois da entrada da Microsoft no mercado", disse Gates. "E eu fico pensando que, se eu tivesse testemunhado pessoalmente, talvez tivéssemos conseguido transmitir melhor esse ponto de vista."Muita gente acha que a decisão de Jackson não vai alterar fundamentalmente a indústria ou a economia, enquanto não for vencida a etapa dos recursos. Mas, além do preço da ação, que pode continuar desabando perigosamente, há pelo menos três outros fatores a serem vigiados com atenção. São eles: o apelo contra as correções de conduta; o moral dos funcionários da empresa; e o comportamento dos concorrentes.Se o tribunal de recursos disser que as correções devem ser aplicadas como previu Jackson, isso pode mudar tudo no mercado imediatamente. O que aumentará as dificuldades da empresa para manter seus funcionários. Além de excitar os concorrentes a ousarem fazer o que nunca ousaram antes: enfrentar a Microsoft.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.