Hugo Correia/Reuters
Hugo Correia/Reuters

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Ações da Portugal Telecom têm queda histórica na Bolsa de Lisboa

Papéis da holding PT SGPS despencaram 19,48%, para a cotação de € 0,65

Renato Oselame, Agência Estado

07 de janeiro de 2015 | 17h06

As ações da Portugal Telecom (PT SGPS) registraram nesta quarta-feira a maior queda diária desde que os papéis passaram a ser negociados na Bolsa de Lisboa há mais de vinte anos. As ações despencaram 19,48%, para a cotação de 0,653 euro.

O declínio da PT SGPS no mercado acionário vem na esteira da confirmação de que o Ministério Público realizou buscas na sede da empresa para investigar suspeitas de participação econômica em negócio e burla qualificada. Durante a sessão, as ações chegaram à mínima histórica de 0,642 euro, com queda de 20,84%, mas reduziram parte das perdas antes do fim do dia.

De acordo com o Jornal de Negócios, a desvalorização da PT SGPS também foi influenciada pelo desempenho ruim das ações da Oi no pregão desta terça-feira no Brasil, quando as ações ordinárias da empresa caíram 15,48% (R$ 7,10) e as preferenciais recuaram 16,67 (R$ 6,55).

O inquérito contra a PT SGPS se refere ao empréstimo de 897 milhões de euros concedido à Rio Forte, empresa do Grupo Espírito Santo (GES), que deu o calote no ano passado. O não pagamento obrigou a Oi e a PT a alterarem as condições de sua fusão. A PT SGPS (holding) detém 25,6% da Oi, que, por sua vez, é dona da PT.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Portugal Telecom

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.