Ações da TAM reduzem queda; Fitch prevê demanda por papéis

Agência de classificação de risco Fitch previu demanda "robusta" para a companhia aérea no longo prazo

Juliana Siqueira, da Reuters,

23 de julho de 2007 | 18h27

A queda das ações da TAM diminuíram nesta segunda-feira, 23, quase uma semana após o acidente com o Airbus A-320 da companhia aérea. No final do dia, as ações preferenciais (PN, sem direito a voto) da empresa eram cotadas a R$ 54,35%, em baixa de 1,18%. Já o Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo - fechou em alta de 1,03%. A agência de classificação de risco Fitch atribuiu o rating (classificação) em moeda estrangeira "BB" para a TAM nesta segunda-feira, com perspectiva estável, e previu demanda "robusta" para a companhia aérea no longo prazo. A nota está dois degraus abaixo do chamado "grau de investimento".    Ações da TAM acumulam queda   "Os recentes acidentes fatais devem ter efeito negativo no curto prazo, que pode levar a uma desaceleração da demanda no curto prazo e a novas restrições de capacidade em Congonhas e outros aeroportos brasileiros, mas a demanda do médio e do longo prazo por transporte aéreo doméstico no Brasil continua parecendo bastante robusta", afirmou a agência em um comunicado.   "Nos últimos anos, a receita (da TAM) cresceu fortemente, as margens operacionais melhoraram e a companhia manteve geração de caixa positiva", completou.   O relatório da Fitch foi distribuído quase uma semana depois do acidente envolvendo um avião da TAM em São Paulo, que deixou cerca de 200 mortos. Na terça-feira passada, um avião A-320 da TAM, que fazia o vôo 3054, explodiu ao se chocar contra prédios vizinhos ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo, após tentar pousar. Foi o mais grave acidente aéreo da história do país.   No dia seguinte ao acidente, a agência de risco Standard & Poor's manteve o rating da TAM e afirmou que o impacto financeiro seria "mínimo", porque a companhia possui seguro para perdas e danos.   Nesta segunda-feira, a Fitch também concedeu nota "BB+" para a Gol, com perspectiva estável.

Tudo o que sabemos sobre:
Vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.