Ações da Vale são boa opção para o longo prazo

A possibilidade de usar os recursos do FGTS para a compra de ações ordinárias (ON, com direito a voto) da Companhia Vale do Rio Doce é bem vista pela maior parte dos analistas. Como a rentabilidade do FGTS, de TR mais 3% ao ano, é muito baixa, a operação é considerada uma alternativa de diversificação do investimento, embora deva ser analisada com muito cuidado. Afinal, bolsa é sempre uma aplicação de risco. Além disso, a opção não é indicada para quem está para se aposentar, teme ser demitido ou pretende usar os recursos do FGTS para comprar um imóvel no curto prazo.O diretor de Renda Variável da BankBoston Asset Management, Júlio Ziegelmann, considerou baixo o desconto de 5% para quem permanecer nos fundos de privatização do Vale por mais de seis meses, mas mesmo assim entende que a operação é interessante para quem não vai dispor dos recursos no curto prazo. Ele estima que o preço justo das ações da Vale é de R$ 71,00, o que significa um potencial de valorização de 29,6% em relação ao fechamento de ontem, de R$ 54,80.O presidente da West AM do Brasil - Asset Management, André Reis, é um pouco menos otimista quanto à perspectiva de valorização dos papéis da Vale, acreditando que as ações tendem a oscilar entre R$ 40,00 e R$ 60,00 neste ano. Por isso, diz que a operação só vale a pena se o investidor deixar os recursos no fundo por mais tempo. No longo prazo, Reis entende que as perspectivas para a Vale são positivas, e tendem a bater a rentabilidade do FGTS. O diretor de Asset Management do Banco Inter American Express, Marcelo Allain, considera a opção interessante. Ele acha que o desconto de 5% é razoável, e acredita que a bolsa e as ações da Vale têm boas perspectivas de retorno. Ele ressalta, no entanto, que é preciso ter um horizonte de longo prazo para fazer a opção.Quem aplicou nos fundos de privatização da Petrobrás obteve um ganho médio de 42,3% entre o início da operação, em agosto de 2000, e 10 de janeiro deste ano (quando houve a mais recente correção do saldo do FGTS). A rentabilidade do Fundo de Garantia nesse período foi de 7,78%. Desde agosto, esses participantes podem transferir os recursos para um fundo carteira livre, mantê-los nos fundos de Petrobrás ou devolvê-los para o Fundo de Garantia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.