Ações das tecnos e teles pressionam bolsas européias

O declínio das ações de telecomunicações e tecnologia afeta os pregões europeus nesta manhã de sexta-feira, gerando uma queda generalizada dos índices referenciais das Bolsas da região. Em Londres, a queda era de 0,48%. Em Frankfurt, o mercado repetia o comportamento negativo de ontem e o pregão perdia 1,26%. Um dos focos de venda da sessão era o grupo das ações de telecomunicações, que reagiam às notícias envolvendo a Siemens. A quarta maior fabricante mundial de telefones celulares alertou que as margens de lucro de sua unidade de celulares deverão ficar pressionadas nos próximos seis meses. Com o anúncio, a Siemens une-se a outras empresas do setor, como a Nokia, Motorola e Ericsson, que haviam reduzido suas estimativas de vendas. As projeções negativas ofuscaram o anúncio, feito ontem, de que a Siemens comprará US$ 2 bi em chips para telefones celulares da Intel durante os próximos três anos, reduzindo o risco de sofrer, novamente, os problemas de fornecimento que atingiram sua produção no ano passado. As ações da Siemens caíam 1,4% e contaminavam outras empresas do setor. A finlandesa Nokia recuava 5%, enquanto a sueca Ericsson perdia 3,4%. Em Paris, a bolsa recuava 0,82%. A Alcatel estava em baixa de 2,8%. Entre os papéis de tecnologia, a ARM Holdings retrocedia 2,7% e a STMicroelectronics e a Infineon Technologies tinham o mesmo desempenho, com queda de 1,6%. As ações da Electrolux disparavam 7,5%, após a companhia ter informado crescimento de 10% no lucro de 2000. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.