Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Ações de despejo caem 24% em abril, a 1ª queda do ano

O número de ações de despejo na Justiça teve queda de 24,24% em abril em relação a março, aponta levantamento mensal do Fórum de Justiça de São Paulo e da administradora de condomínios Hubert. Foram 2.124 ações em março, contra 1.609 ações ajuizadas em abril, o que representa a primeira queda desde o início do ano.

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

18 de maio de 2009 | 18h24

Na opinião do diretor da administradora de condomínios, Hubert Gebara, o recuo no número de ações de despejo levadas à Justiça pode significar temor dos locadores em trocar de inquilinos em tempos de crise econômica. "A tendência cada vez mais observada é de negociar e tentar chegar a um preço de mercado. Encontrar um inquilino bom e que pague em dia é difícil, sendo preferível manter um já confiável", justifica.

Ainda de acordo com Hubert, o medo da perda temporária do recebimento do aluguel tem falado mais alto para os locadores na hora de pensar em despejar o inquilino. "Além de perder uma renda mensal por meio do aluguel, o locatário não deseja arcar com IPTU e condomínio", explica Gebara.

Tudo o que sabemos sobre:
imóveisdespejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.