Ações de despejo em São Paulo chegam ao maior nível desde setembro

Aumento no número de ações de despejo acompanha o crescimento da inadimplência no setor

Gustavo Uribe, da Agência Estado,

26 de abril de 2010 | 16h08

O número de ações de despejo por falta de pagamento de aluguel registrou em março, pelo segundo mês consecutivo, forte alta na capital paulista, atingindo o maior nível desde setembro de 2009. Levantamento da administradora de condomínios Hubert, com dados do Fórum de Justiça de São Paulo, mostra que os locadores ingressaram no mês passado com 1.699 ações na Justiça contra inquilinos devedores, 10% a mais do que total registrado em fevereiro (1.543). Em setembro de 2009, foram ajuizadas 1.815 ações de despejo. Em fevereiro, após quatro meses de quedas consecutivas, o montante de processos teve aumento de 48% ante janeiro.

 

Na opinião do diretor da administradora de condomínios, Hubert Gebara, o aumento no número de ações de despejo acompanha o crescimento da inadimplência no setor. O total de ações de cobrança levadas à Justiça por inadimplência em condomínios registrou em março crescimento de 79,58% ante fevereiro, de acordo com levantamento da Hubert.

 

O diretor lembra que o forte avanço das ações de despejo pode ser reflexo do aumento dos alugueis na capital paulista. De acordo com pesquisa do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), os aluguéis de casas e apartamentos contratados em março registraram aumento médio de 2% ante os valores de fevereiro. No acumulado dos últimos 12 meses, a variação chegou a 10%, a maior desde junho de 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.