Ações do Barclays despencam 20% com preocupação sobre capital

O banco britânico Barclays perdia um quinto de seu valor nesta quarta-feira e suas ações amargavam uma queda ao pior patamar em 24 anos diante da ameaça de ter de precisar levantar fundos ou ser nacionalizado. "O risco da nacionalização é tamanho que a relação risco-retorno não vale. É uma compra especulativa na melhor hipótese", disse um operador. Às 8h51, os papéis do banco eram negociados em queda de 20,16 por cento, a 58 pence, após terem mergulhado para 56,5 pence, nível mais baixo desde 1985. Os papéis rumam para o sétimo dia seguido de perdas. O presidente da comissão parlamentar do Tesouro britânico pediu nesta quarta-feira que o governo nacionalize o Royal Bank of Scotland e o Lloyds, em um momento em que a crise financeira global se aprofunda. O Barclays evitou vender ao governo uma participação acionária, mas analistas disseram que será o próximo na fila se seus rivais forem para as mãos do Estado. O Barclays informou na sexta-feira que o lucro de 2008 será acima de 5,3 bilhões de libras mesmo após perdas contábeis, mas a previsão não deu indicações aos investidores sobre a posição de capital da instituição. Depois da queda das ações, qualquer forma de arrecadação de fundos será ainda mais dolorosa aos acionistas. Um operador informou que há rumor de que o banco adiante a divulgação de seu resultado ante data prevista de 17 de fevereiro. Representantes do Barclays não puderam ser imediatamente contatados para comentar o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.