Reuters
Reuters

Ações do BB caem mais de 5% após governo propor fim de fundo

Governo anunciou que estuda extinguir o Fundo Soberano do Brasil, que possui quantidade razoável de ações do banco estatal

Agência Estado

24 de maio de 2016 | 19h43

As medidas econômicas divulgadas nesta terça-feira, 24, pelo presidente em exercício Michel Temer tiveram influência nas ações das empresas estatais, especialmente Banco do Brasil e Petrobrás. BB ON foi o papel com pior desempenho no Ibovespa, fechando em baixa de 5,39%, na menor cotação do dia. Temer disse que o governo estuda extinguir o Fundo Soberano do Brasil (FSB), que detém uma quantidade razoável de ações do banco estatal.

Apesar do recuo do banco estatal, o Ibovespa - que reúne as principais ações do mercado - fechou em leve alta nesta terça-feira.

Das medidas anunciadas pelo governo, a única com efeito direto foi o anúncio da extinção do Fundo Soberano do Brasil (FSB), que conta atualmente com R$ 2 bilhões de patrimônio. O fundo foi criado no governo de Luiz Inácio Lula da Silva como destino para os recursos do pré-sal. A medida depende apenas do Executivo para ser colocada em prática, sem necessidade de aval do Congresso.

O anúncio acertou em cheio as ações do Banco do Brasil, que operavam em alta e passaram para a coluna das maiores quedas do Ibovespa. Isso porque os papéis do banco representam 96,8% do patrimônio do Fundo Fiscal de Investimentos e Estabilização (FFIE), fundo privado que compõe o FSB e do qual a União é cotista única. Na carteira do fundo estavam 105.024.600 papéis do Banco do Brasil em abril. Em um movimento de antecipação de uma possível venda dos papéis, as ações do BB registraram fortes perdas.

Petrobrás. Já a Petrobrás terminou em alta, mas apurou operou com volatilidade durante o dia, chegando a operar em queda na segunda metade do pregão.

Conforme operadores, o petróleo evitou que os papéis fechassem em queda, já que o mercado ainda tem dúvidas sobre a efetividade das medidas anunciadas pelo governo, como a devolução de R$ 100 bilhões pelo BNDES ao Tesouro.

Na ICE, em Londres, o petróleo Brent para julho subiu 0,54%, a US$ 48,61 o barril. Na Nymex, em Nova York, a alta do WTI para julho foi de 1,12%, a US$ 48,62. Petrobras PN fechou em alta de 0,35%, e ON se valorizou 0,45%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.