Ações do Bradesco despencam após resultado do 2º trimestre

Lucro do banco, de R$ 2,8 bi, veio abaixo do esperado; provisões para perdas com empréstimos cresceram 

Reuters

23 de julho de 2012 | 11h31

Texto atualizado às 19h25

SÃO PAULO - As ações do Bradesco fecharam em forte queda nesta segunda-feira, após o segundo maior banco privado do Brasil ter informado resultado levemente abaixo do esperado no segundo trimestre e cortado a previsão de crescimento do crédito.

"As tendências para receitas (top-line) foram em geral boas, especialmente considerando a ampla preocupação do mercado sobre a pressão nos spreads", afirmaram analistas do JPMorgan Securities em relatório enviado a clientes.

"No entanto, as provisões para perdas com empréstimos cresceram significativamente com a piora da qualidade de crédito comercial", acrescentaram.

O banco teve lucro líquido de R$ 2,83 bilhões no segundo trimestre, ligeiro avanço de 1,7% sobre o mesmo período de 2011. O lucro recorrente somou R$ 2,867 bilhões, ante expectativa média de 11 analistas apurada pela Reuters de resultado positivo de R$ 2,92 bilhões.

A desaceleração da economia e o aumento da inadimplência levaram o Bradesco a cortar suas projeções de crescimento da carteira de crédito e elevar a provisão para devedores duvidosos para R$ 20,68 bilhões, ante R$ 20,117 bilhões no primeiro trimestre e R$ 17,365 bilhões no segundo trimestre de 2011. 

As ações do Bradesco fecharam em queda de 5,54%, a R$ 23,88.

Outros bancos também fecharam em forte queda na bolsa paulista, com Itaú Unibanco caindo 3,16% e o Banco do Brasil, 2,11%.

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSBRADESCOACOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.