Ações do Unibanco sobem mais

As ações do Unibanco subiram ontem com força, mais uma vez por causa dos boatos de que a instituição estaria para definir a compra do BBV Banco. Na terça-feira, pelo mesmo motivo, os papéis tinham subido 2,08% (veja mais no link abaixo). As duas instituições negaram a transação ontem, mas os papéis do Unibanco tiveram ganhos expressivos aqui e em Nova York. As ações preferenciais (PN, sem direito a voto) fecharam em alta de 2,86%, cotadas a R$ 50,40 o lote de mil, enquanto as Units do Unibanco subiram 5,19%. Em Wall Street, os ADRs - recibos da empresa lastreados em ações - registraram ganho de 3,75%. Segundo os rumores, o Unibanco compraria o controle do BBV oferecendo suas ações como pagamento. "Dessa forma, o banco espanhol teria uma participação minoritária numa instituição brasileira e o Unibanco não precisaria desembolsar dinheiro para aumentar sua participação no mercado", disse um analista. " A instituição já adquiriu outros bancos desse modo. Em 2000, o Unibanco comprou o Bandeirantes do banco português Caixa Geral de Depósitos numa operação de troca de ações que atingiu R$ 1,2 bilhão. Ontem, mesmo com os desmentidos, as ações subiram de novo, porque a operação parece vantajosa para os dois bancos", afirmou o diretor de um banco estrangeiro. Com a compra, o Unibanco passaria de R$ 58,074 bilhões para R$ 70,680 bilhões de ativos, e voltaria a ser o terceiro maior banco privado do País, superando o Santander. O BBV, por sua vez, reduziria sua exposição na América Latina, o que faria sentido para uma instituição que vai engolir um forte prejuízo na Argentina. Além disso, o banco espanhol não conseguiu um espaço dos mais expressivos no mercado brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.