Ações europeias fecham em alta após discurso de Obama

As principais bolsas europeias fecharam em alta nesta quarta-feira, com investidores animados pelo plano do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de estimular a economia norte-americana.

REUTERS

26 de janeiro de 2011 | 15h38

Obama pretende reduzir impostos sobre as empresas e congelar alguns gastos públicos por cinco anos para ajudar a maior economia do mundo.

As expectativas de que o Federal Reserve, banco central dos EUA, dê sinais de melhora das perspectivas econômicas ao final de sua reunião de dois dias também dava ânimo aos investidores. Além disso, a divulgação de dados positivos sobre as vendas de novas moradias nos EUA ajudou o mercado.

O FTSEurofirst 300, índice que reúne as principais ações da Europa, subiu 0,75 por cento, para 1.152 pontos, maior patamar desde 18 de janeiro.

"Obama está tentando transmitir sua convicção de que a saúde das empresas norte-americanas é importante. Ele também gostaria de simplificar o sistema tributário e manter os impostos sobre as empresas baixos. Isso tem sido bem aceito por investidores", disse Keith Bowman, analista de ações da Hargeaves Lansdown.

Ações relacionadas a matérias-primas tiveram as maiores altas, com os preços de metais avançando com a baixa do dólar e com esperanças de que a melhora da economia global vá aumentar a demanda por metais. O STOXX Europe 600 Basic Materials subiu 2,6 por cento. As ações da Anglo American e da ArcelorMittal avançaram 2,8 e 5,1 por cento, respectivamente.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 0,87 por cento, a 5.969 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,97 por cento, para 7.127 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 avançou 0,73 por cento, para 4.049 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib encerrou em alta de 0,30 por cento, a 22.007 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou valorização de 0,06 por cento, para 10.670 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve variação positiva de 0,09 por cento, para 7.730 pontos.

(Reportagem por Atul Prakash)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAEUROPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.