Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Ações japonesas têm alta e erguem bolsas asiáticas

O índice Nikkei, da bolsa de Tóquio, encerrou em alta de 5 por cento e impulsionando ações asiáticas nesta sexta-feira. O movimento foi motivado por aumento de confiança dos investidores de que grande bancos dos Estados Unidos sobreviverão à crise sem serem assumidos pelo governo e podem até mesmo gerar lucro.

KEVIN PLUMBERG, REUTERS

13 de março de 2009 | 08h11

O Citigroup afirmou à Reuters que não precisará de mais nenhuma ajuda emergencial de Washington e que espera continuar sendo privado. Já o Bank of America informou que obteve lucratividade em janeiro e fevereiro, o que aliviou temores sobre mais instabilidade no setor bancário e incentivou o retorno dos investidores ao mercado acionário.

"A situação econômica parece estar melhor do que as pessoas estavam dizendo no começo do ano --uma visão que surgiu agora de que aparentemente os ganhos dos bancos norte-americanos podem não ser ruins", disse Masaru Hamasaki, estrategista sênior da Toyota Asset Management, em TÓQUIO.

Apesar disso, para cada notícia positiva surge outra que deixa dúvidas sobre a sustentabilidade da recuperação dos mercados.

Por exemplo, Wall Street registrou seu melhor desempenho em três dias desde novembro, após a Standard & Poor's ter melhorado a perspectiva de risco de crédito da General Electric de "negativa" para "estável".

Por outro lado, o Berkshire Hathaway, conglomerado do bilionário investidor Warren Buffet, perdeu seu grau "AAA" e recebeu projeção negativa da Fitch Ratings.

O índice Nikkei da bolsa de TÓQUIO subiu 5,15 por cento, e apresentou o maior ganho semanal de 2009. As ações do banco japonês Mitsubishi UFJ saltaram 5,8 por cento.

O indicador MSCI que reúne as principais bolsas da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão saltava 3,65 por cento às 8h02 (horário de Brasília), mantendo a tendência de alta verificada durante a semana.

Os setores financeiro e de matérias-primas foram os que tiveram maior firmeza.

As ações do setor bancário também se valorizaram. O HSBC avançou 5,66 por cento, puxado por investidores recomprando ações após emissão de 18 bilhões de dólares.

O dólar se manteve estável em relação ao iene..

A bolsa de SYDNEY subiu 3,39 por cento, enquanto TAIWAN ganhou 3 por cento e CINGAPURA disparou 5,62 por cento. HONG KONG saltou 4,37 por cento.

Na contramão, as ações em SEUL caíram 0,21 por cento e o índice de XANGAI registrou declínio de 0,24 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.